sábado, 30 de junho de 2012

SANCIONADO PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS DA GUARDA MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE-MG


O plano de carreira da Guarda Municipal de Belo Horizonte (GMBH), sancionado anteontem pelo prefeito Marcio Lacerda-PSB, vai impactar diretamente na folha salarial dos 2.329 guardas e inspetores que atuam na instituição. Com o plano, o salário inicial do guarda municipal, de R$ 1.375 para 44 horas semanais trabalhadas, poderá atingir, em 20 anos, até R$ 11.335 - quase nove vezes o valor atual -, vencimento do cargo de superintendente, posto máximo na hierarquia da categoria. 


Em médio prazo, o servidor poderá chegar a um vencimento de R$ 3.427, salário de inspetor I. Antes do plano, a perspectiva salarial para quem ingressava na instituição era de, no máximo R$ 2.440, vencimento do cargo de inspetor atualmente. 



Entre os postos de guarda municipal de segunda classe (primeiro nível) até o de superintendente (nível máximo), o plano instituiu nove cargos dentro da GMBH. Para a mudança de função, serão avaliados tempo de serviço, merecimento e obtenção de títulos. 



Além de ter direito a ascensão em diferentes cargos, inclusive por meio de concurso interno, o guarda contará com a progressão horizontal em 15 níveis diferentes, promoção por ato de bravura e quinquênio de 10% sobre o vencimento base.



O plano era uma reivindicação antiga da categoria, que comemora a sanção. "Agora teremos uma projeção para o futuro e poderemos vislumbrar uma carreira", avaliou Charles Alexandre Augusto, inspetor da GMBH e membro da comissão que ajudou a preparar as propostas. 

Segundo ele, os guardas se sentirão mais motivados e poderão até apresentar melhorias nos serviços prestados.



Para o presidente do Sindicato dos Guardas Municipais do Estado de Minas Gerais (Sindiguardas-MG), Pedro Ivo Bueno, o plano de carreira teve um avanço considerável em relação ao primeiro texto apresentado para votação na Câmara, em novembro de 2011. "A categoria rejeitou o primeiro projeto, pois não contemplava a progressão horizontal por tempo de serviço e merecimento, direitos conquistados no texto atual", detalhou Bueno. Segundo ele, outra conquista foi a unificação do salário base de R$ 735 e a gratificação de R$ 640 totalizando no salário de R$ 1.375. 



Crítica. Entretanto, o presidente do Sindiguardas-MG questiona a falta de regulamentação para definir como serão feitas as provas para mudança de nível e os critérios de seleção. 



"É preciso criar uma comissão isenta para essa avaliação, com representantes do sindicato e da Ordem dos Advogados do Brasil".


Histórico

Expansão. A Guarda Municipal foi criada em janeiro de 2003, com 80 servidores, para ajudar na segurança e na preservação do patrimônio. Hoje, 2.282 homens e 37 mulheres atuam nas nove regionais da capital.
Exigências para ingresso na carreira cresceram
Com a instituição do plano de carreira para a Guarda Municipal de Belo Horizonte (GMBH) e a consequente valorização dos servidores, o nível de exigência para ingresso na carreira também aumentou.


No último concurso público, feito em junho de 2011, os 592 candidatos aprovados entraram na corporação avaliados por prova de nível fundamental. Segundo o inspetor Charles Alexandre Augusto, a partir de janeiro de 2013, o próximo concurso passará a exigir nível médio. "Ainda não temos data para realização de nova prova", disse Augusto. 



Para o estudante Gabriel Medeiros, 24, que pretende prestar concurso para a próxima seleção da GMBH, o aumento no nível de exigência será bom para a classe, pois a seleção mais rigorosa vai valorizar a categoria.




Fonte: Jornal O Tempo.

Um comentário:

  1. SANGUE AZULLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL URRAURRAURRA!!!!!!

    ResponderExcluir